Relatório I - 2016

 

 

 

 


Relatório das primeiras duas semanas do Machibombando

 


Pedagogia 2016

 A turma de Pedagogia (2016), iniciou o ano lectivo de formação no dia 04/04/2016 e terminará o curso no dia 04/04/2019. Tendo o curso a duração de 3 anos, subdivididos em 12 períodos. Contudo, o 1º período é denominado preparando-se e o 2º Machibombando. Neste momento estamos justamente no segundo período que iniciou a 01 de Agosto 2016 e terminara a 01 de Dezembro de 2016. 

Visto que o curso visa formar futuros pedagogos, com conhecimentos sólidos sobre a teoria e a prática na compreensão e interpretação dos fenómenos que suportam as condições humanas nas distintas sociedades e a sua relação com a natureza, por isso o período de Machibombando, acima mencionado prioriza a busca de entendimento de vários assuntos que circundam as sociedades em alguns países da africa Austral, nomeadamente: Moçambique, Swazilândia, Africa de Sul, Botswana, Zâmbia, Malawi, e Zimbabwe. Sobretudo, nas áreas de Educação, Económia (Agricultura), Culturas, Saúde e Energias renováveis.
A equipa de Pedagogia 2016 é constituída por 39 estudantes e está dividida em 3 “grupos nucleares” com um professor para cada grupo, nomeadamente: Os Embaixadores da Sabedoria, Samora Machel e Nova Visão.
Os Embaixadores da Sabedoria é o nosso Grupo Nuclear e é constituído por 12 elementos e para garantir uma dinâmica na realização das nossas investigações dividimo-nos em 4 micro grupos constituídos por 3 elementos em cada micro grupo.

 

 

No caminho


Numa 1ª fase a equipa escalou o município de Boane, isto em Moçambique, para poder ter um entendimento real das áreas acima citadas. Visto que este município desenvolve várias actividades económicas, tais como: Agricultura comercial e familiar, comercio informal e formal, e tem mostrado um crescimento económico considerável.
No dia 15/08/2016 deixamos a zona de conforto Instituto Superior de Educação e Tecnologia-One World University (ISET/OWU) rumo a Boane, chegados lá, procuramos por espaço para acampar e nos foi cedido o espaço na Escola Secundária Joaquim Chissano em Boane, montamos o acampamento, seguido de um encontro em que estivemos a programar as actividades por realizar nos dias posteriores.
No dia 16/08/2016 tivemos um encontro com a Directora do Serviço Distrital de Educação Juventude e Tecnologia de Boane (Adelaide Sigauque) e a Administrativa da Escola Secundária Joaquim Chissano, onde um dos líderes fez uma breve apresentação da Equipa, ademais a directora, deixou algumas considerações “sintam-se em casa e investiguem tudo aquilo que estiver no vosso plano de pesquisa”, isto incentivou-nos bastante e sentimo-nos mais activos para dar início as nossas actividades de investigação-acção.
No dia 17/08/2016 em micro grupos iniciamos com as tarefas marcadas no dia anterior onde as actividades foram realizadas obedeceram o seguinte tema de estudo a Educação em Moçambique. Compreender o sistema de educação e sua acessibilidade para todos.
O primeiro micro grupo foi a Escola Primaria Completa de Fiche e interagiu com a Directora Adjunta Pedagógica (DAP) Lúcia Fernando Nguenha sobre as dificuldades que os professores enfrentam no exercício de docência Infantil, de acordo com as respostas da DAP, nos foi possível concluir que a principal dificuldade que os professores enfrentam na EPC de Fiche em Boane é a comunicação entre o professor e os seus alunos no processo ensino-aprendizagem. Pois dizia a DAP em resposta as nossas perguntas que, “ 72% dos alunos entendem mais a língua local (xichangana) e não dominam a língua portuguesa, e os professores pouco conseguem se comunicar em xichangana para servir de meio auxiliar na mediação das aulas. E esta incapacidade, notável pelas ambas partes tende de forma significativa a influenciar no baixo rendimento pedagógico”. Deste modo compreendemos que é muito necessário que se reforce a formação dos professores em ensino bilingue e nas escolas ainda deve-se abrir esta excepção das línguas locais serem constadas no currículo escolar.

 

O segundo grupo foi ao Instituto Pedagógico do Umbeluze e interagiram com a direção do Instituto a busca de um entendimento sobretudo, no que tange a educação, onde após a pesquisa concluíram que o IPU tem o objectivo de garantir a formação técnico profissional na área de Agropecuária altamente qualificados, para responder as necessidades do desenvolvimento económico e social do país,
O terceiro grupo foi ao Serviço Distrital de Educação Juventude e Tecnologia onde interagíramos com a Sra. Directora Adelaide Sigauque sobre os motivos que levam a desistência dos alunos, e conhecer as metodologias usadas no processo de ensino e aprendizagem. Onde a pós a pesquisa concluímos segundo as palavras da directora que, “no distrito de Boane, o problema de acesso ao serviço público na área de educação se manifesta por falta de interesse dos técnicos de ensino no controle dos seus estudantes, e má interação entre o professor e aluno”. Com base no discurso, nos compreendemos que o interesse dos técnicos de ensino deve ser criativo e motivador para dar espaço acessível onde os estudantes e professores sentem a necessidade de estarem sempre aptos no melhoramento do processo de ensino-aprendizagem nas escolas, com a finalidade de garantir que tenhamos um sistema de educação com qualidade.
O quarto micro grupo realizou as suas pesquisas na Escola Secundaria Joaquim Chissano onde interagiu com o DAP sobre o funcionamento e aproveitamento pedagógico na instituição, após a pesquisa concluíramos segundo a explicação do DAP, “que a instituição funciona com dificuldades visto que, dos 64 professores que leccionam nesta escola apenas 37 é que possuem uma formação Psicopedagógica o que influencia negativamente no aproveitamento pedagógico, uma vez que no primeiro trimestre o aproveitamento foi de 38%”.
No dia 20/08/2016 a equipa de Pedagogia 2016, deslocou-se do município de Boane rumo a África do Sul, Província de Mpumalanga em Mbuzine, concretamente, no Museu Samora Moisés Machel, embora encontramos no processo de manutenção preparatória ao evento comemorativo, alusivo ao 30º aniversário da sua morte, nisso, não nos tiraram a oportunidade de entrar e conhecer na realidade este monumento que todos de forma esperançosa aguardávamos o conhecer. Apresentaram-nos o senhor Bonginlosi Charles Shekwa que é o responsável do Museu e que nos deu a conhecer a história desta tragedia e de ver os restos do avião que causou a sua morte, e de seguida regressamos a Moçambique, concretamente em Namaacha onde pernoitámos. Como futuros professores e moçambicanos, ter conhecido o Monumento de Mbuzine, deu-nos e ficou em nós a compreensão de um conhecimento sólido sobre a história que ainda vive desde 19 de outubro de 1986, que vai nos servir para explicar de forma real aos nossos concidadãos e os demais o que colhemos experientemente naquele ponto histórico.

 

 No dia 21/08/2016 deslocamo-nos para a Swazilândia, na província de Mbabane, onde estamos acampados na Mater Dolorosa High School, e no dia seguinte, (22/08/2016) como planificado, fomos ao Ministério da Saúde na mesma província com o pedido de permissão (CREDENTIAL) para dar início as nossas pesquisas na área da Saúde objectivando compreender as causas e as consequências do elevado índice de sero prevalência e o plano de prevenção. Onde fomos ditos para elaborar uma carta direcionada ao Ministério da Saúde. Enquanto aguardávamos pela resposta, no dia seguinte 23/08/2016 nos dirigimos a National Emergency Response Council on HIV/SIDA (Nercha) onde tivemos a oportunidade de interagir com o director Muzweto, Sra. Nokwazi e a Sra. Nicol que nos deram a conhecer sobre:

Programas de tratamento de HIV/SIDA
• Distribuição e promoção de preservativos;
• Prevenção de transmissão de HIV/SIDA de mãe para filho (PMTCT);
• Circuncisão masculina;
• Mudanças de comportamento social, estilo de vida e Educação;
• Pre-antirretroviral (PRE-ART);
• Terapia antirretroviral PLHIV (ART);
• TB/HIV infeção;
• Violência baseada no género (GBV); e
• Treinamento familiar.
Segundo a Sra. Nokwazi o elevado índice de sero prevalência deve-se ao facto da Swazilândia ser um Pais pequeno, acolhedor, poligamia, as pessoas falam o mesmo idioma, prostituição, o não uso de camisinha.
E o maior desafio que a Swazilândia tem neste momento no que tange ao HIV é fazer com que a menor parte da população que não esta infectada não seja infectada.


Conclusão


Finalmente, de acordo com as pesquisas realizadas do dia 16 de Agosto de 2016 no Município de Boane a 23 de Agosto de 2016 na província de Mbabane no reino da Swazilândia, concluímos que:
Uma das principais dificuldades que os professores enfrentam no município de Boane parra ensinar os seus alunos no ensino primário é a comunicação (língua), na Escola Secundária e no Instituto Pedagógico de Umbeluzi há défice de meios e material didático e no Serviço Distrital da Educação constata nas suas supervisões a falta de perfil profissional, autoestima dos professores com os seus alunos.
Em Mbabane ate então, constatamos que:
• O professor deve evitar apaixonar se com as suas propiás alunas;
• Fazer chegar a mensagem nos alunos, pais e encarregados de educação sobre como evitar a infeção do vírus de HIV;
• Não distribuir nas Escolas os preservativos, somente informar onde podem conseguir e como evitar esta doença endémica de HIV/SIDA;
• Não ter uma descriminação de género;
• Não isolar os infectados nem exclui-los;
• Aconselhar os infectados para não interromper o tratamento e evitar no máximo a violência doméstica da mulher.

Instituto Superior de Educação e Tecnologia

One World University

Nosso Endereço:

Changalane - Maputo
Mozambique

Fale Conosco

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Telefones:

8626 27800      

8428 27800  

8216 96694 

Fique Informado:

S5 Box

Register

You need to enable user registration from User Manager/Options in the backend of Joomla before this module will activate.